sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Polo 4 de Leitura promove um Chá de Bebê bem diferente

Nono Mês

Chegará
A beleza do teu jardim
O verso maturo e raro 
Nascerá enfim.

Seu corpo 
Esplêndido recurso 
Íntimo, coração e útero
Agem e intitulam
O instante natural
O momento do deslumbre
A razão universal

Despem-se os véus
De todos os meses
E os corações em sintonia
Ouvem o choro da vida
E vibram ao receber
A humana sinfonia

                                                                                                    Drika Duarte


          Quem disse que o vínculo materno não pode ser estimulado, também, através da literatura?  O livro “A Arte de Nascer”, uma coletânea de poemas da poetisa potiguar Drika Duarte, foi a obra central da confraternização do polo 4, articulado pela mediadora de leitura Jarlene Carvalho.  

          Os poemas foram voltados ao encontro amoroso da mediadora de leitura Christiane Villar, da Escola Municipal Antonio Basílio, com o  filho, que está prestes a chegar.  Com uma barriga redonda e a arredondar, a professora estava coberta de emoção, ouvindo os nove poemas, lidos pelas mediadoras de leitura de seu polo, dedicados a ela e a seu bebê, em um Chá de Fraldas completamente diferente.  Linda iniciativa!  Parabéns a todos que compõem o polo 4!



P.S. O livro “A Arte de Nascer” é destinado às mulheres que desejam engravidar, as que já estão  grávidas, as que já tiveram seus bebês e às crianças de um modo geral.


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Poesia para Todos!

          A mulher sempre foi a principal fonte de inspiração dos grandes escritores, sejam estes apaixonados ou não. Esta figura tão admirada, que tem o poder de aprisionar até o mais forte dos poetas, já foi tema de muitos poemas.   

          O pequeno leitor Kaliadson Silva, da Escola Municipal Augusto Severo, foi o convidado para honrar a todas mulheres presentes na Câmara Municipal de Natal, neste último dia 4 de dezembro, durante a Audiência Pública em alusão aos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, a convite do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.



          Aplaudidíssimo - como sempre - pela vereadora Júlia Arruda e demais presentes, o pequeno leitor apresentou um texto de Jessier Quirino para o auditório composto de homens e mulheres.  Ao fim, fotos e entrevistas com o pequeno artista leitor.

          Cada vez mais nos certificamos que é de poesia, a arte rebuscada da palavra, que as mulheres necessitam.  Longe de toda espécie de rudeza e desprezo.  E os homens também!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Polo 4 promove um "Café com Poesia" em praça pública

          Os livros ainda podem ser vistos com olhares tortos por convidar à reflexão e trazer ideias diferentes das adotadas.  Infelizmente, ainda não faz parte do cotidiano brasileiro. Aliado a isso, as tecnologias modernas contribuíram para que as pessoas deixassem os livros de lado.   É.  Ainda não faz parte do cardápio cultural do nosso povo.


          O polo 4, articulado pela mediadora de leitura Jarlene Carvalho, teve uma ideia sensacional: aliar uma das uma das preferidas do brasileiro – o café – e oferecê-lo junto à leituras várias para os comerciantes, mototaxistas e transeuntes da Praça Juarez Balbino dos Santos, no Bairro de Rosa dos Ventos.  Foi o "Café com Poesia".


Degustação de cafés e poemas
Trabalhadores também abordados
   
          Crianças das Escolas Nestor Lima, Manoel de Paiva, Luzanira Maria, Maria Saraiva, Maria do Céu e Limírio Cardoso ofereciam pequenas porções literárias junto a um cafezinho no início da manhã do dia 12 de dezembro de 2014.  Nas paradas de ônibus próximas, lojas e até mesmo na rua pública, as abordagens eram feitas para a oferta, tão especial.  Sr. José Galdino, um dos comerciantes, também participou do momento lendo "Meus Oito Anos", de Casimiro de Abreu, em praça pública.

          Que seja incorporado, no dia a dia do potiguar, bem de manhãzinha, no fim da tarde ou a qualquer hora, aquela leitura básica, como é tão comum com o café. 


O projeto cumpre seu propósito

Apresentação do Coral do Nestor Lima
Adolescentes da Confraria participando

sábado, 13 de dezembro de 2014

Biblioteca Escolar Francisco Martins é inaugurada


          Todo relacionamento profundo e significativo de amizade demanda tempo, disposição e franqueza. Não é nada fácil encontrar um amigo nesses dias.  

          Fazer boas amizades pode ser bem custoso, mas as recompensas são grandes. Uma delas é experimentar a alegria do outro.  

          Neste último dia 5 de dezembro, experimentamos grande júbilo ao comemorarmos os 50 anos do nosso amigo Francisco Martins e os 10 anos de lançamento do seu 1º livro. Durante a celebração, também, foi inaugurada uma Biblioteca Escolar com seu nome e lançado o seu livro “Seis Faces de Encanto”.  Enfim, uma tarde de entusiasmo e júbilo compartilhados entre vários mediadores de leitura presentes, amigos e familiares, a Secretária Adjunta de Educação de Parnamirim, Marizete Amorim, além de toda a comunidade escolar.


A mesa composta

Leitura das obras preferidas do escritor Francisco Martins

Mediadores de leitura prestigiam o escritor

          Na ocasião, poemas que o inspiraram como escritor como "Toda Saudade é Assim". de Renato Caldas e "Fiel", de Guerra Junqueiro, além de algumas de suas produções poéticas como "Os Pilares do Caráter", foram lidos por adolescentes da escola que, ao fim da solenidade, foram premiados como os alunos leitores do ano de 2014.  Sua biografia foi conhecida por todos também, desde a sua chegada a Natal até os seus primeiros trabalhos como escritor, em um cenário composto por seus personagens que já tanto promoveram a leitura.

O escritor Francisco Martins premia o aluno leitor destaque 2014
O descerramento da placa

         Uma tarde agradável, cuidadosamente planejada pela mediadora de leitura Joana D'Arc e pelo corpo gestor da escola, para honrar um legítimo representante da literatura potiguar.  Bem disse a Profª Vandilma de Oliveira, na apresentação da obra:


"Francisco Martins, o autor que embaralha com seus personagens, é assim: seus textos não se satisfazem apenas com a leitura silenciosa.  É uma poesia que, pela própria natureza de seu escritor, pede exposição, busca o palco – seja em uma Academia de Letras ou em uma escola pública.  Mesmo sem seu destinatário declarado, sua leitura autoriza uma certeza: trata-se de um autor necessário, em toda e qualquer biblioteca.    

Apesar de andejar para além dos horizontes do cenário nordestino, suas raízes se fincam mesmo é no território da cultura popular.  Sua obra, não tenho dúvidas, além do valor estético já certificado por críticos potiguares, vai, na posteridade, servir como documento e testemunho de um mundo que ama a paisagem nordestina, já, 
então, engolido pela voragem tecnológica.

Celebrar primaveras com a publicação de um livro é típico de um ser essencial e existencialmente generoso, que partilha com seus leitores, os segredos de seus pensamentos. 

Ao eternizar, com as penas de sua tinta, a virtude, a esperança e fé, Francisco Martins deixa sangrar a sua vocação como cristão, comunicando sobre aquele que não deixou uma só linha escrita para a posteridade: o próprio Cristo.  Em sua poesia, intuímos o eterno e aguçamos os sentidos para o divino.  
Enfim, Este que é Autor de toda a beleza, faz parte de seus escritos."



quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Rio de Leitura lança agenda e honra os mediadores de leitura de Parnamirim

          O mediador de leitura é aquele indivíduo que aproxima o leitor do texto; está em situação de privilégio, porque tem, em suas mãos, a possibilidade de levar o leitor a infinitas descobertas.  E, assim o leitor, além de se cumpliciar com os autores dos livros e seus personagens, tem, no professor, também um aliado.  E, nós, equipe do Projeto “Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura” como, ardentemente, desejamos que nosso município se efetive como um lugar de leitores, também, com cada mediador de leitura, também, temos uma relação de cumplicidade.

          E, nessa teia de conivência, em comunhão e total sintonia, a vida corre como um rio perene, história digna de um livro. 

          Entre os mediadores de leitura de Parnamirim, 2014 poderia se chamar o ano da cumplicidade: partilhamos sentimentos, nos dedicamos a estar ao lado , marcando a história de nossa cidade com um trabalho merecedor de nota.

          Então, a partir do dia 11 de dezembro, data em que foram homenageados os guardiões dos templos de Parnamirim, fica incluída, nas gramáticas, a língua que criamos para nós. Quase uma centena destes foram até ao Teatro Municipal de Parnamirim para assistir o espetáculo teatral "Cartas para Antonier", baseado na obra "O Pequeno Príncipe", de Exupery, e receberam das mãos da Secretária de Educação, Vandilma de Oliveira, uma agenda com poemas de escritores locais e fotos de crianças em situação de leitura.  E, acrescentamos às literaturas todas as falas não ensaiadas, silentes, mas que falam alto no coração de cada menino e menina leitora.


"Que os poetas escrevam essa nossa história!  
Que seus versos captem a beleza de cada leitura feita todas as segundas-feiras para cada menino e menina do 'rio pequeno', em seus poemas!  
Despertem, trovadores, e, em estrofes mil, narrem nossas aventuras recheadas de heroísmo fazendo desejar o extraordinário, a despeito de nossos antagonistas!  
Ó menestréis, acheguem-se, e descrevam, em seus livros, nossos suspenses, recheados de mistérios a serem desvendados!  
Narrem nossa história não ficcional, se possível, em acróstico:
 todos devem memorizá-la! 
 Escritores, vinde, há um romance a historiar de uma alma fraturada que oscila entre desejos legítimos e uma realidade ainda hostil! 
Nas crônicas do dia a dia, exponham nosso cotidiano: 
que todos conheçam nossa labuta! 
 E, se ainda conseguir acomodar em suas páginas, registrem nossas anedotas diárias, nossas parábolas sem fim, eternizem, em estrofes, nossas lendas imaginárias e os pequenos contos diários vividos.  
Por favor, também não se esqueçam de nossas epístolas de amor, 
dirigidas a nossos parceiros, a quem amamos!"

        P.S.: E, enquanto os literatos não despertam para escrever nossos anais, aqui vamos, como protagonistas que somos, permitindo que Deus trace a nossa História, capítulo a capítulo, com uma pena que não borra, jamais!

As fotos jamais captarão a emoção deste dia.  A despeito deste fato, seguem:









quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

TODAS as crianças tem o direito de ler!


          A melhor fase da vida de um ser humano tende a ser a infância. É exatamente nesse período que vivemos fantasias e desfrutamos dos prazeres no colo da família. Contudo, infelizmente, essa vivência não é regra. 

          As escolas do polo 5, a saber, Escola Municipal Silvino Bezerra, Hélio Galvão, Eulina Augusta, Jussier Santos, Enedina do Nascimento, Cícero Melo, Jacira Medeiros e Maria de Jesus planejaram o evento “Recital Poético: um Presente de Natal para Você”, destinado às crianças da Casa Abrigo Santa Rita de Cássia, no bairro de Santa Tereza, em Parnamirim.

          Uma festa regada a leituras bíblicas, e de Cecília Meireles, Sílvia Orthof, Francisco Martins, Roseana Murray, também dos poetas presentes José Acaci e José de Castro, para estes pequenos já tão alijados de seus direitos. Para alegrar o ambiente, o Papai Noel, a Emília, de Lobato, palhaços e outros personagens: mediadoras de leitura, estimuladas pela articuladora do polo, Marlizete Ricardo.






          Ainda muitas crianças brasileiras não sabem ler ou não compreendem aquilo que leem. Outras tantas nunca foram presenteadas com um livro.  E, ainda, há aquelas que nunca sentiram o prazer de ouvir uma terna voz a ler para elas. As escolas do polo 5 de Parnamirim diminuem estas tristes estatísticas.  E deixam para elas, um tesouro à sua disposição. Uma campanha especial de arrecadação de livros foi feita e, na hora que desejarem, meninos e meninas deste abrigo podem acessar livros em sua casa.

          Porque todas as crianças são credoras do direito à leitura!






segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Escola Municipal Maria Saraiva homenageia o escritor e poeta José Acaci

          Um grande número de livros, especialmente na poesia romântica, procurou retratar a questão dos sonhos.  Ao invés de retratar a realidade, por vezes dura, o escritor retratava terras fantásticas e maravilhosas, para aplacar a dor sentida.

          Segundo alguns pesquisadores, sonhar é uma necessidade biológica do ser humano. Não é possível sobrevivermos sem sonhar.  E a literatura, tendo este poder intrinsecamente, faz esse ‘transporte’ como nenhum outro veículo.

          O mais novo livro do poeta José Acaci inicia-se com um sonho. 

          A obra foi exaltada, junto a seu autor, em um cenário especial, pelos leitores da Escola Municipal Maria Saraiva, neste último dia 5 de dezembro.  Porções da obra foram lidas, recitadas e cantadas, por alunos, professores e mães ligadas ao Projeto da escola "Laços com a Leitura", diante do próprio autor, presente no evento, e de toda a comunidade escolar. 
O projeto cumpre seu propósito
Mediadora de leitura Marlizete Ricardo apresenta o autor
Mãe de aluno lê a biografia do autor 
Participação de toda a comunidade escolar
          Respondendo às exigências próprias da infância, no sonho, os bichos, na obra de Acaci, falam às crianças, levando-as para este mundo fantástico.  Algo necessário e salutar para esta idade, tão fértil.  Parabéns ao Maria Saraiva!  Parabéns a Acaci!