sábado, 30 de abril de 2016

Sonho coletivo da Escola Brigadeiro Eduardo Gomes é realizado!

  "Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, 
mas sonho que se sonha junto é realidade"
Raul Seixas

          Permitir-se aspirar a desejos mais profundos para a comunidade escolar, e conseguir ver-se na dimensão desses sonhos, foi o que aconteceu na Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes. A despeito da escassez de recursos, a instituição arrebanhou voluntários preciosos e fez valer o ideal de embelezar, ainda mais, o espaço da escola. Já era o início de uma realidade...

            E a biblioteca não coube mais em si: eram tantos os leitores que foi necessária a criação de um espaço de encontro e reencontro de leitores, para trocas de experiências sobre os livros lidos, enfim, convívio literário de toda a comunidade escolar.

          No dia 19 de abril deste, ainda nos festejos relacionados ao Dia do Livro, foi inaugurada a “Praça Literária Profª Terezinha Martins”, uma ampliação da biblioteca do local e o Espaço de Convivência "Paulo Dantas".  Justas homenagens a dois grandes colaboradores da instituição. 




          
          Diante dos patronos, a solenidade contou com apresentações literárias dos meninos e meninas de Nova Parnamirim, baseados nas obras "A Caligrafia de Dona Sofia", de André Neves", e a "A Menina e o Vestido de Sonhos", de Alexandre Rampazo, que narra a história de uma menina que colecionava sonhos abandonados por sua cidade.  

          "Sonho": uma palavra tão pequena pra abarcar a grandeza da obra que uma escola pode fazer, quando assim o deseja. Bem aventurada é a instituição que encontra a companhia de outros para trazerem, ainda mais vida, para nossos escolas! Parabéns aos patronos e a toda a comunidade escolar!




Mediadoras de leitura e os patronos


sexta-feira, 29 de abril de 2016

CMEI Ilson Santos promove encontro literário com pais

          Durante a primeira infância, a leitura é um trabalho em parceria com o adulto, que vai conferindo sentido a essas páginas que, para o bebê, não seriam nada sem este mediador. Por isso, os primeiros mediadores de leitura são os papais, as mamães, os avós e, pouco a pouco, chegam os professores.

         O Centro Municipal de Educação Infantil Ilson Santos sabe a importância desses primeiros colaboradores e investe neles.  Dia 26 de abril de 2016, um momento mui especial com estes mediadores.  Para os papais, mamães e vovós, no Dia da Educação, a Escola de Pais com o tema "Ler para seu filho: chave para um bom relacionamento" com a abertura do projeto "Sacola Viajante", e, para aguçar as papilas gustativas e literárias, um Sarau intitulado "Sabor de Chocolate e Poesias", já na sua segunda edição.


Professores do turno vespertino com a "Sacola Viajante"
A pequena leitora lê a obra título do sarau
          Para cerca de quase uma centena de pais presentes, livros sorteados, um passeio por algumas dicas de obras e, para adoçar, um sarau baseado na obra " A Poesia Está na Mesa" das escritoras Rita Nasser e Tatiana Biachini. Uma delícia de programação!


Pais ganhando livros de brinde


quarta-feira, 27 de abril de 2016

Novos mediadores, juntos, inovam o cenário docente do Rio de Leitura

AdrianoVivianeSuelyIsabelEzildaFranciscaAnaMariaSocorroJoseliaLidianeAparecidaMarinalvaSuerdaMarineideRosimeiryWilmaAngelaElioneGerlaneRegia
 

          Esses são os nomes de alguns recém-chegados no Projeto “Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura”, escritos assim dado ao sentimento de unidade que almejamos.  Dia 27 de abril de 2016, promovemos uma formação para os novos mediadores de leitura.  Por que o literário e não outro tipo de literatura? Contar histórias ou ler? Fazer reforço escolar é ofício do mediador?  Essas e outras dúvidas foram motivo de discussão para as responsabilidades antes nunca tidas.  




          Na oportunidade, os mediadores receberam todo o arcabouço legal do projeto, a saber, cópias das leis municipal, estadual e federal e os projetos, regados a literatura de Carlos Collodi e Candace Fleming, e a teoria de Ezequiel Theodoro da Silva, Affonso Romano de Sant'anna e tantos outros escritores. Unidos, no mesmo propósito. Obviamente, o trabalho do mediador de leitura não é fácil de reduzir a um manual de funções mas há que se discutir sobre o tema.  Trabalho de um coletivo!

          Os mediadores de leitura são aquelas pessoas que estendem pontes entre os livros e os leitores, ou seja, que criam as condições para fazer com que seja possível que um livro e um leitor se encontrem.  Desde o ano de 2010, quando se iniciou o projeto, estamos envolvidos em uma tentativa de consolidar o espaço das bibliotecas escolares.  Para todos os novos leitores que se achegam, livros de presente! 


          Avanteporumaparnamirimdeleitores!







segunda-feira, 25 de abril de 2016

O Rio chama... O poeta se achega! (Resposta do escritor José de Castro ante a última formação)

"A plateia é seleta?
Chamem o poeta." (Dilan Camargo)

CHAMEM O POETA...




"Dia 20 de abril pude vivenciar junto com vários professores e professoras de Parnamirim, numa parceria com a Livraria Paulinas de Natal, duas oficinas literárias, onde houve muita criação poética minimalista (aldravias e poetrix). A produção de haicais ficou para uma próxima, pois só deu tempo para um pouco de conversa teórica sobre esse milenar gênero poético.

Agradeço ao carinho de todos os que fazem o projeto "Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura", e que participaram das oficinas, pela manhã e pela tarde. Agradeço, inclusive, pelo singelo presente que me deram, com entalhe de madeira.

E a beleza de saudação que fizeram com o poema "Chamem o Poeta", de Dilan Camargo. Realmente, uma plateia seleta! Mediadores e mediadoras de leitura que são também poetas!

E se chamam o poeta, respondo com trecho de "Motivo", de Cecília Meireles: "Eu canto porque o instante existe e a minha vida está completa. Não sou alegre nem sou triste: sou poeta."

Feliz por me chamarem, principalmente de poeta, pois amo a poesia, meu abrigo predileto...

De coração, amigos e amigas professoras e professores mediadores de leitura: MUITO OBRIGADO por todo o carinho.

A poesia que existe em mim saúda a poesia que habita em vocês."
(José de Castro)

P.S.: Observem que o entalhe é um terceto... Só falta o título para ser um POETRIX... (o título fica subentendido....) Tipo: Palavras em festa...

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Escolas leitoras de Parnamirim chamam o Poeta José de Castro

“Algum mal nos afeta?
Chamem o poeta.
A plateia é seleta?
Chamem o poeta.
Ficou torta a reta?
Chamem o poeta.
Ninguém segue a seta?
Chamem o poeta.
Não se alcança a meta?
Chamem o poeta.
A sonda não prospecta?
Chamem o poeta.
Não escutam o profeta?
Chamem o poeta.

Chamem o poeta.
Não adiantou a dieta?
Chamem o poeta.
Não sai a eleição direta?
Chamem o poeta.
O governo decreta?
Chamem o poeta.
Conflito burguês x proleta?
Chamem o poeta.
O corrupto se locupleta?
Chamem o poeta.
A conta é secreta?
Chamem o poeta.
Acham que somos patetas?
Chamem o poeta.
O delator alcagüeta?
Chamem o poeta.

Chamem o poeta!
Chamem o poeta!"
Dilan Camargo

          Todos, em meio a angústias, recorrem a uma oração para sorver sua alma.  Em tempos difíceis, não há quem não possua uma súplica guardada no coração. 
 

           Pois bem. O projeto “Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura” tem algumas orações.  “Chamem o poeta” é o título de apenas uma. Esta se constitui de quarenta e seis versos, lidos por quase uma centena de mediadores de leitura, no dia 20 de abril de 2016, durante o ll Encontro de formação do ano. 

          A formação, em parceria com a Editora Paulinas, trouxe o Poeta “Cônsul da Poesia em Parnamirim” José de Castro para a formação, ao som do escritor Dilan Camargo.




           O escritor passeou por informações teóricas sobre algumas modalidades literárias como o haicai, o poetrix e a aldravia. Quantas sílabas poéticas contem o texto, quais os seus temas, de quantos versos se constituem, entre outras informações, foram recebidas pelo corpo docente, tudo banhado a poesias de sua autoria e de tantos outros talentosos. Como sempre, Castro faz sua conferência conferindo a seu ouvinte uma fala consistente, fruto de estudos e experiência com o texto literário.

          Como toda oficina, os mediadores de leitura tiveram a oportunidade de lançarem-se nos seus escritos minimalistas, como todo encontro de formação, sempre uma ocasião para um reencontro: uns com os outros e todos com a literatura. Uma oração que sempre nos é respondida!

"Se for pouco um poeta
chamem um enxame de poetas.
Não importa que mais chamem
do que amem e declamem o poeta.

Chamem o poeta!
Chamem o poeta!"











         

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Parque aquático no litoral Norte do RN troca livros por ingressos


Fonte: g1.globo.com, acessado em 18 de abril de 2016.

          O Dia do Livro é comemorado no dia 23 de abril e para marcar a data o parque aquático Ma-Noa Park irá trocar livros por ingressos. A ação acontece de 18 a 23 de abril. Neste período, os visitantes poderão trocar um livro, de literatura infantil ou adulta, por uma entrada no complexo de lazer. O parque fica na praia de Maracajaú, no município de Maxaranguape, litoral Norte do estado. Os livros arrecadados serão doados para a comunidade de Maxaranguape.

          "Será um livro por um ingresso. É uma ação para celebrar o dia de Monteiro Lobato, comemorado em 18 de abril, e o dia do livro que é celebrado em 23 de abril. Nosso objetivo é proporcionar à comunidade de Maxaranguape o acesso aos livros e estimular a leitura", disse Henrique da Costa, gerente comercial e de marketingo do Ma-Noa.

          Os livros podem ser trocados na entrada do parque e os ingressos devem ser utilizados no mesmo dia. Não serão aceitos livros didáticos, apenas literários. A promoção é válida para os primeiros cem visitantes. No dia 23, último dia da promoção, a programação será recheada de atrações, com sorteio de prêmios e a apresentação do cantor e compositor Diego Brasil no palco central do Ma-Noa.




sexta-feira, 15 de abril de 2016

Expandindo horizontes: crianças leitoras do Cícero Melo promovem o "Pé de Poesia"

          Fato: as bibliotecas desempenham um papel importante no interesse das crianças pela leitura, mas pode-se ir além das quatro paredes do espaço de leitura.

          Quando uma criança sai de seu espaço habitual e aventura-se para ler para outros em seu bairro, por exemplo, provocamos um engajamento social das crianças.  Foi o que aconteceu, às vésperas do Dia Nacional do Livro Infantil, com os meninos e meninas leitoras da Escola Municipal Cícero Melo.  No dia 15 de abril, os pequenos leitores da Biblioteca Escolar Salizete Freire, com o estímulo de suas mediadoras Navegantes Lima e Marlizete Ricardo, foram até a praça do bairro, removendo o máximo de paredes que eram possíveis, para socializar livros. Promoveram o "Pé de Poesia", na praça do bairro, abrindo a Semana Nacional do Livro Infantil.





          Certamente uma grande fonte de satisfação, tanto para as crianças quanto para os adultos que as acompanharam nesta aventura de fazer leitores.