O último verso do soneto 2012

14:11:00Rio de Leitura


          Parnamirim celebrou, nesta última quinta-feira, dia 6 de dezembro, o encerramento oficial das suas ações com o lançamento do livro de Salizete Freire “Tudo vira outra história”.  Os dois eventos, que se fundiram poeticamente, tinham como estrela o objeto livro, razão maior de ser do projeto.

          A secretária Vandilma de Oliveira disse, em seu pronunciamento, que às vezes, tem até a impressão de que o que está ausente, nas salas de aula, é a chama que arde através da poesia, prontificando-se, mais uma vez, a contribuir, em 2013, com o projeto que "espalha beleza através dos livros, nos quatro cantos de nosso 'rio pequeno' ".




          Não aconteceu o cumprimento direto do protocolo de um cerimonial de lançamento de um livro, uma vez que a apresentação da autora foi feita através de apresentações literárias dos alunos das escolas leitoras e o cenário resgatou alguns objetos que faziam referência ao sertão nordestino - tanto apreciado pela escritora potiguar.

          O aluno Kaliadson Silva, da Escola Municipal Homero Dantas, através da poesia “Vou me embora pro passado” de Jessier Quirino, remeteu-nos à época que a escritora nasceu e de que como sua poética reúne os fios que revitalizam o passado, deixando-o fresquinho em nossa memória.



          O professor Ailton Mangabeira, da Escola Municipal Nestor Lima, honrou a autora com o cordel “O livro amarelo”.  Em se tratando da relação escritor, livro e público leitor, acreditamos que a professora Salizete tem mediado, de forma atrativa e generosa, uma vez que seus textos, que não apenas falam das intempéries e/ou encantamentos do ser humano, mas falam da arte da vida e convidam seus leitores a repensar o seu lugar no mundo, na poética do outro.



          A aluna Izabela Lourenço, da Escola Municipal Jussier Santos, honrou a autora, através de um dos mais importantes representantes da cultura popular nordestina, Patativa do Assaré, com a poesia “Cante lá que eu canto cá”; até porque, quando estamos na companhia da escritora, nosso sertão tem cor, cheiro, sabor, só nosso!



          Há fatos que não aprendemos só com o livro, mas da partilha dele com outros. Com Salizete Freire, entendemos que a ‘quem devemos honra, devemos honrar”; por isso, o projeto “Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura” reconheceu a escritora como merecedora, sim, do prêmio Jabuti e, então, ofereceu a ela a justa láurea.


       



          Vem da cidade do Rio Grande do Norte excelentes exemplos de escritores como Salizete Freire e de projetos de promoção de leitura de literatura, que creem que toda uma comunidade pode ser transformada através do poder que reside na leitura.

Você também pode gostar de

1 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato