Alzelina de Sena expõe palavras especiais de Cecília Meireles em sua 1ª Mostra Literária.

07:47:00Rio de Leitura


“Se eu inventei palavras? Não. 
Isto nunca me preocupou. 
No inventar há um certa dose de vaidade. “Inventei. É meu”.
O que me fascina é a palavra que descubro, 
uma palavra antiga abandonada e que já pertenceu a tanta gente que a viveu e sofreu!”
Cecília Meireles


          E foram muitas as palavras balbuciadas pelas crianças da Escola Municipal Alzelina de Sena durante o evento “Poesia é vida... Viva a poesia com Cecília Meireles!" nesta manhã do dia 23 de maio.  As palavras, que foram descobertas pela poetisa e eternizadas em seus livros foram lidas no pátio da escola na presença de pais, professores e alunos.



  
O banner recepcionava e chamava a atenção de todos e muitos apreciaram as suas belas palavras

           A homenagem é justíssima.  Cecília sempre teve um cuidado especial pelas palavras.  Tanto que foi a escritora que teve seu sonho de menina concretizado em 1934, quando criou a primeira biblioteca infantil do Brasil.

          Aos nove anos, Cecília começou a escrever poesia, outros textos foram escritos na idade adulta; e algumas dessas palavras foram muito bem lidas: poemas como "Leilão de Jardim", "Bolhas", "A Chácara do Chico Bolacha" e tantos outros trazidos por alunos do 1º ao 3º ano da escola. 

          Tomara toda essa comunidade escolar use tão bem as palavras como utilizou aquela que foi considerada uma das vozes líricas mais importantes da literatura da língua portuguesa.  E, para completar a mostra literária, a própria autora compareceu e leu um dos seus textos prediletos:



Cecília apresenta a sua obra.  Quanta classe!

          As palavras ditas pela Escola Municipal Alzelina de Sena são corroboradas por mim e todos que compõem o Projeto "Viva a poesia com Cecília Meireles!"


Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato