Dicas para Conduzir Conversas entre Livros (Por Ana Garralón)

10:09:00Rio de Leitura

Fonte: revistaemilia.com.br, acessado em 20 de junho de 2014




          Ler em voz alta é um dos melhores presentes que podem ser dados, uma simples atividade que pode ter forte influência na futura vida leitora das crianças. Às vezes um ato pequeno e fácil é muito mais efetivo que muitas atividades sofisticadas. Nessa linha, sugerimos algumas ideias para conversar com as crianças sobre suas leituras.

          É frequente que, depois de ter conseguido terminar a leitura de um livro numa leitura compartilhada ou silenciosa, damos por realizado o objetivo da leitura. No entanto, o ato socializador daquilo que lemos é tão importante quanto a própria leitura. 



Uma boa conversa começa com uma boa pergunta

Uma boa pergunta conduz a algum lugar no pensamento. Muitas vezes, as crianças estão mais interessadas em dar uma resposta rápida do que em pensar na pergunta. Desse modo, perguntas do tipo: O que chamou a sua atenção? O que você pensa disto? São caminhos que convidam à exploração mais do que a uma resposta.


Procure pontos de interesse das crianças

Muitos livros tratam de mais de um tema, certamente você encontrará algum assunto pessoal para compartilhar com as crianças.


Dirija as perguntas para dar sentido à história

Algumas perguntas podem ser direcionadas para revisar os aspectos principais da trama. As crianças que compreendem melhor as histórias se transformam em leitores com mais confiança, e essa segurança vai proporcionar-lhes maior prazer em suas futuras leituras.


Faça conexões pessoais com a história

O que você teria feito se o mesmo que aconteceu com a personagem principal tivesse acontecido com você? Tais conexões ajudam a relacionar as histórias com as suas vidas. Conversar é menos falar sobre as figuras ou o conteúdo do livro que sobre seu significado.


Tenha paciência

Não se faz um bom “conversador” da noite para o dia. É preciso ter paciência para deixar que as crianças encontrem a sua maneira de se expressar, sem as afogar com comentários e perguntas. Se você fizer muitas intervenções, ao final você será o único a fazer comentários sobre os livros.


Escute

Dê tempo para as crianças responderem. Se você faz uma pergunta, dê tempo para que eles pensem e respondam. Pergunte, faça um pequeno comentário e espere. Isso é muito importante para se ter uma boa conversa.



Uma conversa não tem fim

Não procure chegar a nenhum ponto concreto, nada além do falar sobre uma história. Termine quando ambos quiserem, na hora do jantar, ou quando o tema se esgotar.


Ana Garralón trabalha com livros infantis desde os anos 1980. Colaborou como leitora para muitas editoras, trabalhou com oficinas sobre temas de formação e incentivo à leitura e livros informativos nas mais importantes instituições. Publicou Historia portátil de la literatura infantil (Anaya, 2001), a antologia de poesia Si ves un monte de espumas (Anaya, 2002) e uma seleção bibliográfica para mediadores, 150 libros infantiles para leer y releer (CEGAL, Club Kirico, 2012). 



Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato