Rio de Leitura lança agenda e honra os mediadores de leitura de Parnamirim

15:00:00Rio de Leitura

          O mediador de leitura é aquele indivíduo que aproxima o leitor do texto; está em situação de privilégio, porque tem, em suas mãos, a possibilidade de levar o leitor a infinitas descobertas.  E, assim o leitor, além de se cumpliciar com os autores dos livros e seus personagens, tem, no professor, também um aliado.  E, nós, equipe do Projeto “Parnamirim, um rio que flui para o mar da leitura” como, ardentemente, desejamos que nosso município se efetive como um lugar de leitores, também, com cada mediador de leitura, também, temos uma relação de cumplicidade.

          E, nessa teia de conivência, em comunhão e total sintonia, a vida corre como um rio perene, história digna de um livro. 

          Entre os mediadores de leitura de Parnamirim, 2014 poderia se chamar o ano da cumplicidade: partilhamos sentimentos, nos dedicamos a estar ao lado , marcando a história de nossa cidade com um trabalho merecedor de nota.

          Então, a partir do dia 11 de dezembro, data em que foram homenageados os guardiões dos templos de Parnamirim, fica incluída, nas gramáticas, a língua que criamos para nós. Quase uma centena destes foram até ao Teatro Municipal de Parnamirim para assistir o espetáculo teatral "Cartas para Antonier", baseado na obra "O Pequeno Príncipe", de Exupery, e receberam das mãos da Secretária de Educação, Vandilma de Oliveira, uma agenda com poemas de escritores locais e fotos de crianças em situação de leitura.  E, acrescentamos às literaturas todas as falas não ensaiadas, silentes, mas que falam alto no coração de cada menino e menina leitora.


"Que os poetas escrevam essa nossa história!  
Que seus versos captem a beleza de cada leitura feita todas as segundas-feiras para cada menino e menina do 'rio pequeno', em seus poemas!  
Despertem, trovadores, e, em estrofes mil, narrem nossas aventuras recheadas de heroísmo fazendo desejar o extraordinário, a despeito de nossos antagonistas!  
Ó menestréis, acheguem-se, e descrevam, em seus livros, nossos suspenses, recheados de mistérios a serem desvendados!  
Narrem nossa história não ficcional, se possível, em acróstico:
 todos devem memorizá-la! 
 Escritores, vinde, há um romance a historiar de uma alma fraturada que oscila entre desejos legítimos e uma realidade ainda hostil! 
Nas crônicas do dia a dia, exponham nosso cotidiano: 
que todos conheçam nossa labuta! 
 E, se ainda conseguir acomodar em suas páginas, registrem nossas anedotas diárias, nossas parábolas sem fim, eternizem, em estrofes, nossas lendas imaginárias e os pequenos contos diários vividos.  
Por favor, também não se esqueçam de nossas epístolas de amor, 
dirigidas a nossos parceiros, a quem amamos!"

        P.S.: E, enquanto os literatos não despertam para escrever nossos anais, aqui vamos, como protagonistas que somos, permitindo que Deus trace a nossa História, capítulo a capítulo, com uma pena que não borra, jamais!

As fotos jamais captarão a emoção deste dia.  A despeito deste fato, seguem:









Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato