Literatura para professores de língua portuguesa; A Ùltima Flor do Lácio; Rio de Leitura

Literatura e a Flor do Lácio: um Enlace Possível

08:54:00Rio de Leitura

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...

Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

em que da voz materna ouvi: "meu filho!",
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Olavo Bilac

          Esse foi o poema lido durante o Seminário "Compartilhando Saberes", direcionado aos professores de Língua Portuguesa e Inglesa da cidade de Macaíba, a convite da professora Elisabeth Binder, no dia 31 de outubro de 2015.  O tema foi: Literatura e a Flor do Lácio: um Enlace Possível.

          Na terra de grandes feitos e de grandes vultos de nossa história, inclusive na literatura, como a poetisa Auta de Sousa, denunciamos que, nestas e em outras salas de aula de nosso Brasil, a literatura não está tão presente quanto deveria. Isso porque para muitos de nós, professores, a literatura é um conteúdo sem significado, pois não tem um objetivo técnico, preciso para obter algum conhecimento. Como dar nota aos alunos depois de ler um texto? 

           Além dessa concepção, a leitura - ainda - é 'trabalhada' no espaço escolar tendo um objetivo final, alguma estratégia de avaliação, o que coloca o aluno diante de uma tarefa árdua: é preciso ler para fazer exercícios, provas, fichas de leitura, resumos, enfim, o ato de ler visa cumprir tarefas escolares. Essa concepção autoritária da leitura promove um apagamento da voz do aluno enquanto leitor e produtor de textos.  





          E, entre uma conversa e outra, um texto de Bartolomeu Campos de Queirós, do livro de Eclesiastes, de Clarice Lispector e de tantos outros nomes da literatura, tudo isso acompanhado pelo poeta José de Castro, cônsul da poesia na cidade de Parnamirim.   Tomara tenha sido útil para os professores da cidade de Macaíba: é o Rio de Leitura inundando outras cidades de nosso Rio Grande do Norte.

 P.S.: O Lácio foi a região onde surgiu o latim e o poema de Olavo Bilac enfatiza a importância e a beleza da língua. Ele faz uma comparação da língua como uma flor, ele utiliza a metáfora como figura de linguagem, língua é igual a flor. 

Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato