Quando o milho ora: Escola Ivanira Paisinho promove sarau temático

13:37:00Rio de Leitura

          A poetisa de hábitos simples e doceira de profissão, escreveu uma obra poética em que são marcantes traços e momentos característicos do interior do país. Ao poema que fez em homenagem ao milho, Cora Coralina - nascida Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas - deu o nome de "Oração do Milho": 


“Senhor, nada valho
Sou a planta humilde dos quintais pequenos
e das lavouras pobres.
Meu grão, perdido por acaso, 
nasce e cresce na terra descuidada.”

          Esse foi apenas um dos textos lidos pelos leitores adolescentes da Escola Ivanira Paisinho, em uma iniciativa em que os professores foram honrados, antes de seu recesso escolar.  




        E o milho se revelou através dos versos da poetisa goiana, e, também, a “Paisagem de Interior”, na obra de Jessier Quirino, e o “Amendoim Caramelado”, no livro de José de Castro, dentre outras vozes que exaltaram a cultura nordestina.

          A iniciativa "Versos, Rimas e Poesias com Gostinho Nordestino", da mediadora de leitura Valéria Vaz, trouxe o milho, enquanto sujeito orante, que, na verdade, é apenas a representação de algumas pessoas ou grupos sociais. Um texto poético que, dentre tantos outros, merece reverência nas Festas Juninas e em muitas outras celebrações! Depois, uma degustação com comidas típicas para os professores!





Você também pode gostar de

1 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato