A Biblioteca e seus Jardins

12:29:00Rio de Leitura

“Para que o dia seja todo de estrelas e magia, estranhas flores ao pé da estrada” 
(Roseana Murray, em seu livro “Jardins”)


          Tempo de floração na Escola Municipal Sadi Mendes.  Hoje, dia 8 de abril de 2017, a Biblioteca Escolar Roseana Murray foi inaugurada, com a presença de sua patronesse, afagando crianças e adolescentes em botões, estes que desejam e teimam desabrochar.  

          A solenidade – este pequeno espaço de natureza ordenado pelo corpo docente da escola – considerou, sim, a biblioteca um delicado e especial jardim.  Por isso baseou o ato a partir da obra "Jardins" e homenageou com uma menção honrosa a arquiteta Maíra Nascimento Queirós, o Projeto Semear Livros, o empresário Renilson Fonseca e o Projeto Rio de Leitura pela contribuição com o espaço.  Presentes estavam as secretárias de educação Francisca Henrique, Ana Lúcia e Adriana Limeira no evento que tinha perfume de flor.







          Nas mãos das jardineiras Suely Schinaider, Vera Vilela e Lidiane Carla - cuidados artesãs, poetisas o ano inteiro - fertiliza palavras que fazem leitores. Segundo a narrativa bíblica, nem Salomão em todo o seu esplendor, conseguiu alcançar a perfeição que só as flores podem ofertar.  Assim, não nos cabe imitá-las, e, sim, tão somente admirá-las. Parabéns a toda a comunidade do Sadi Mendes por tão digna homenagem e pelo nobre espaço que fica para os leitores de Nova Parnamirim.

          Roseana, algum tempo após a solenidade, publicou em uma rede social:


"A Biblioteca da Escola Municipal Sadi Mendes, agora com o meu nome, foi feito um cantinho muito delicado, que conta um pouco a minha história. Muito emocionante saber que amanhã volto para casa, mas a minha poesia fica na grande Natal, em Parnamirim, nessa escola pública tão linda, com gente apaixonada pelo que faz. A cerimônia de inauguração foi feita de momentos de grande voltagem emocional. Foram tantos detalhes maravilhosos, do começo ao fim. Uma tessitura de delicadezas para nunca mais esquecer. Conheci tanta gente incrível.
Navego nesse rio de emoção, juntos nesse rio de leitura.







P.S.: “Para abrir o livro “Jardins”, é preciso desamarrar o laço de fita vermelha. Por trás da capa verde com cortes vazados, pode-se vislumbrar um colorido florido brilhante. Uma vez desfeito o laço, o leitor tem acesso aos delicados e curtos poemas que traduzem ricas imagens e aos inspirados desenhos, em finos traços, que ora ornam os textos, ora preenchem páginas inteiras de intensa cor. Neste jardim de poemas, há “guirlandas de palavras e o verbo a prender perfumes”, nas palavras do renomado poeta Manoel de Barros, cujo texto que parabeniza a autora, se encontra nas páginas iniciais do livro Recomendamos a leitura!

Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato