Rio de Leitura recebe o escritor nigeriano Sunny

15:15:00Rio de Leitura

          Bendito Atlântico que nos banha, nos une, mais que desagregando os continentes plurais!

          Bendito Atlântico que permitiu que um escritor cruzasse seu oceano, fazendo-se hóspede noutro lugar.  (Falando nisso, nosso maior folclorista pisou em terra africanas. Há 40 anos, Luís da Câmara Cascudo empreendeu uma longa viagem de estudos pela África e lá constatou as imensas afinidades culturais que nos unem!) 

          Bendito Atlântico!  No fundo dos mares, encantos, segredos e mistérios ocultos através da literatura que desconhece limites geográficos, de etnias ou cores.

          No dia 6 de abril de 2017, o Projeto Rio de Leitura teve a honra de receber o escritor nigeriano Sunny, através de uma parceria com a Paulinas Editora que já comemora 7 anos de existência.  Porque a literatura não tem um país; ela desconhece limites. Mais de 7 mil quilômetros teriam sido contornados, para trazê-lo ao Brasil (por falar nisso, quem fita o mar daqui está mais perto da África: somos a esquina do continente, o “Trampolim da Vitória”!).  Uma tarde que, como “ressaca” fomos arremessados e atraídos: Brasil e África; Cascudo e Sunny, escritores responsáveis  por disciplinar o conhecimento popular enquanto ciência.

        Crianças da Escola Municipal Neilza Gomes fizeram a leitura do poema "Bonito é se gostar", da escritora potiguar Drika Duarte e o escritor recebeu um livro com dedicatória de Daliana Cascudo, neta de um dos mais importantes pesquisadores das manifestações culturais brasileiras. O escritor africano falou sobre a importância das histórias desde a mais tenra idade e nos passou técnicas de como apresentar as histórias, ressaltando a importância dos contos africanos, uma vez que temos a 2ª maior população negra do mundo, depois da Nigéria. Compartilhou histórias de suas obra "As Aventuras de Torty, a Tartaruga", "O Natal de Nkém", Ulomma" e "Contos de Lua", em um ambiente cuidadosa e especialmente decorado com itens que rememoravam seu país.  Uma tarde daquelas que vamos levar na memória!





             Quando um rio deságua no oceano, ele não teme e persegue seu fim com intrepidez.  Porque ele não desvanece no oceano, ele converte-se em oceano.  Mais uma vez, fica registrada a Editora Paulinas nossa gratidão, e desejamos que o rio persiga seu propósito de ser: fluir!






Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato