Um rio que flui para o mar da leitura...

06:58:00Rio de Leitura

          Professores, leiam culturas e histórias em um castelo medieval ou em uma biblioteca potiguar!  Este universo é diverso!

          Leiam e desenvolvam esta que é uma uma das habilidades mais incríveis da humanidade: deslizar olhos sobre um papel e desvendar sonhos, até para quem não sabe ler!




          Professores, misturem realidades e fantasias, caminhando em ruas de pedra alta, no coração do Recife, ou em asfaltos lisos de qualquer metrópole!

         Leiam em voz alta, com o entusiasmo de um colecionador, despertando emoções no outro!  Compartilhem suas vivências, sua conexão com os livros, seja um exemplar raríssimo do “Os Lusíadas”, de 1572, ou aquela obra ainda não publicada!




          Leia cada letrinha para uma criança, jovem ou adulto, e leia também com eles, entre algumas poucas dezenas ou circulado por milhares de obras em gabinetes reais!

          Demonstre sua conexão com a arte literária, e com a arte em geral.  Imite as vozes dos personagens e cantem alto usando todas as possíveis formas de conquistá-la.  Enuncie livros em voz alta em Pernambuco - terra de muitos e muitos poetas – e, também, em Parnamirim, cantando alinhado, junto de artistas de tom maior como José Acaci, Marcos Rodrigues e Geraldo Tavares, ao som do maracatu ou de canções clássicas.




          Abram livros, físicos ou não, e contemplem histórias inúmeras nos melhores museus do mundo ou nas cozinhas e secretarias das escolas leitoras!  Façam saraus em jardins de palmeiras imperiais com espelhos d'água ou embaixo de árvores que dão frutos: todas são joias expostas ao sol!

          Professores, leiam livros de aventuras, viagens, naufrágios e suspense,ocupando todos os espaços.  Elevem a alma dos leitores apontando para jardins ou borboletas, para vitrais ou lâmpadas acesas, esculturas grandiosas e formigas.  O livro pode ser qual uma arma medieval para mitigar a desumanidade!





          Virem as capas voltadas para frente como uma vitrine nas paredes de tijolos aparentes ou bem rebocadinhas, e deixem que estas os convidem, como artes aproximadas, enquanto temos tempo e não é decretada o morrer das infâncias.

          Professores, continuem transbordando esse “Rio” de orgulho em todo e qualquer lugar!  





Texto escrito, em meio a muita gratidão, após viagem em celebração ao nobre ofício de ser Professor, em especial, aquele que medeia leituras, no último dia 11 de outubro, para o Real Gabinete Português de Leitura, Museu Cais do Sertão e Instituto Ricardo Brennand, em Recife/PE.

Você também pode gostar de

0 comentários

Postagens mais visitadas

Imagens Flickr

Formulário de contato