domingo, 10 de novembro de 2019

Potigraffiti: a arte que embeleza e fica no Brigadeiro

          Não existe uma escola reconhecida nacionalmente sem que haja vontade, dedicação do seu corpo docente e sem o esforço contínuo da vontade, da inteligência e do coração em meio a práticas inovadoras.
     
          A Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, que, nos últimos dias, recebeu a festiva notícia que conta entre as dez melhores iniciativas de promoção a leitura na categoria Bibliotecas Escolares, sediou, entre os dias 8 a 10 de novembro, o Encontro Nacional Potigraffiti, com a temática "Nossa história, nossa cultura: Indígena e afrodescendente"  E os muros da escola, antes monocromáticos, agora eram só provocação de emoções e debates.

          Artistas do Brasil e da América Latina, com sprays nas mãos e habilidade e criatividade com as cores, estavam envolvidos na intervenção artística pretendida para o bairro de Nova Parnamirim, para esta contemplação reflexiva à cultura indígena e afro.

         Sim, a escola só existe a partir da troca entre sua comunidade e o ambiente em que está inserida. Depois de três dias intensos, a arte embeleza e fica, a todos sem distinção ou restrição – basta olhar a escola.  











Nenhum comentário:

Postar um comentário